Chegamos no terceiro episódio de VALORANT, e a Riot Games alterou completamente o roteiro com uma infinidade de novas mudanças. Várias armas estão com os preços menores, o custo da maioria das habilidades dos agentes está maior, muitos desses agentes estão recebendo buffs ou nerfs, e tudo isso enquanto um novo agente chegou, KAY / O. O VALORANT competitivo e de nível profissional terá uma aparência muito diferente agora comparado com o início do VALORANT. Mas todas as equipes supostamente estarão em pé de igualdade, jogando um jogo muito diferente em comparação com o que jogaram até agora.

Pós-Pós-Plant – A nova meta

Antes dessas mudanças, a estratégia proritária para a maioria das equipes de VALORANT era vencer o jogo no pós-plant. A seleção de agentes e os plants da spike giravam em torno dessa tática, com agentes como Sova, Viper e qualquer outra pessoa com utilidade no estilo molotov, impedindo com que o defuse da spike seja realizado.
Para os jogadores que tentam o retake, tornou-se cada vez mais frustrante ter que lidar com as “molotovs” vindas de inimigos em lugares distantes e escondidos, essencialmente deixando suas habilidades de mira inúteis e forçando você a verificar cada cubículo como se fosse esconde-esconde no jardim de infância.

Equilíbrio para a seleção de agentes

Naturalmente, haveria agentes favoritos para a seleção, mas a disparidade entre alguns dos mais e os menos escolhidos estava crescendo muito. No Masters 2, Jett e Sova foram escolhidos cada um em pelo menos 70% de todos os mapas, e se você retirar o mapa onde cada um deles raramente é usado (Bind para Jett e Split para Sova), essa porcentagem aumenta ainda mais. Por outro lado, seis agentes tiveram taxas gerais de escolha abaixo de 20%. Um dos agentes menos escolhidos é Breach, e enquanto seus custos de habilidade estão subindo como a maioria dos outros agentes, quase todas as suas habilidades estão sendo aprimoradas também. Seu Pós-choque dispara três rajadas agora, ele recebe três cargas de Flash em vez de duas, e seu Onda Trovejante é muito mais amplo. Skye também é outro iniciador que está sendo nerfada, perdendo uma carga inicial de Luz Guia, e suas flashes agora se regeneram após 40 segundos.

Alguns dos ultimates mais poderosos do jogo agora custam mais pontos de ultimate:

  • Fúria do caçador de Sova
  • Tormenta de aço de Jett
  • Ressurreição de Sage e
  • Estraga-prazeres de Raze.

Esses ults têm sido alguns dos mais impactantes e sempre que são utilizados diminuem a taxa de tiros utilizados. Os kits de habilidades de agentes como Jett, Sage e Sova são tão úteis que provavelmente as taxas de escolha dos agentes não devem diminuir muito, mas terão menos impacto no futuro.

Operator mais cedo e outras mudanças importantes no custo das armas

Com várias armas tendo quedas no preço, a mais impactante é de longe a queda do valor da Operator, de 5.000 para 4.700 créditos. Com essa queda, os jogadores podem pega-la muito mais cedo e com mais frequência do que o normal. A queda no preço contrabalança o aumento dos custos de habilidade para agentes como Jett, que usam a Op de forma bastante eficaz, agora poderemos esperar ver jogadores contando com a Op mais do que apenas com habilidades.

Outras mudanças notáveis no preço das armas está na Judge, saltando de 1.600 para 1.850 créditos enquanto a Stinger caiu de 1.100 para 950. A Judge foi mal avaliada por seu poder e precisão por muito tempo, agora isso deve tirá-la da lista de compras antecipadas. A queda no valor da Stinger pode fazer com que valha mais a pena, mas considerando os nerfs que vêm para a mecânica do patinete, é difícil dizer ainda.